Abertura da III Conferência Municipal de Cultura lança editais 2012

O grupo de choro Ginga no Mané sonorizou a entrada de artistas e produtores de cultura no Centro de Eventos da UFSC  para a abertura da  III Conferência Municipal de Cultura de Florianópolis. Enquanto os chorões tocavam o  hino “Rancho de amor à ilha” foram colorindo a platéia do auditório os representantes das mais diversas áreas culturais da cidade.

Grupo Ginga do Mané abriu a solenidade

 

A mesa oficial de abertura, composta pelo prefeito Dário Berger, representantes do Ministério da Cultura, Fundação Franklin Cascaes, Secretarias de Educação e Saúde, empresários, representantes da sociedade civil,artistas e produtores de cultura, trouxe as falas de boas-vindas e abertura do evento.

O secretário municipal de educação, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, apresentou as ações de 2011 no processo de constituição do Fundo Municipal de Cultura. Essas ações desembocaram nos “editais 2012″, que foram lançados na oportunidade de sua fala. O secretário aproveitou para convocar o público a  apresentar suas propostas, frisando que os editais fazem parte não apenas de uma “política de governo, mas sim de uma política de estado”. Os editais do Fundo Municipal de Cultura funcionam de forma independente das demais leis de incentivo, e suas inscrições estarão  abertas de 4 a 11 de Maio.

As falas de abertura foram otimistas quanto à importância desta III Conferência Municipal de Cultura, especialmente no sentido de  garantir um processo democrático na elaboração do Plano Municipal de Cultura.  Em sua fala inicial, o prefeito Dário Berger ressaltou que “ uma cidade não se constitui apenas de elevados e ruas, mas também de música, poesia e produção cultural”. Que assim seja.

Ao final das falas,  o chorinho voltou a alegrar o ambiente envolto em números e cifras de investimentos destinados a projetos culturais. A intervenção musical fez a transição da solenidade de abertura para o painel “A cultura como pilar estratégico do desenvolvimento do município.’

A mesa que deu voz às representações de segmentos do município, deixou evidente a diversidade cultural que existe em  Florianópolis, e abriu espaço para os Pontos de Cultura, que foram representados pelo Pontão Ganesha e pela Barca dos Livros. Na plateia, mais pontos acompanhavam o evento.

 

Texto escrito por Gabriella Pieroni – Ponto de Cultura Engenho de Farinha – e foto do Coletivo Sem Fronteiras, que participam da Cobertura Colaborativa da III Conferência Municipal de Cultura de Florianópolis – Coordenação: Pontão Ganesha.